24/01/2021

Dia dos Aposentados: histórias que inspiram a Enfermagem

O dia 24 de janeiro, Dia dos Aposentados, é uma data especial para homenagear todos aqueles dedicaram suas vidas à Enfermagem.

Deixar o trabalho e aposentar-se não é nada fácil. Para muitos, a profissão é a inspiração de vida. O dia 24 de janeiro, Dia dos Aposentados, é uma data especial para homenagear todos aqueles dedicaram suas vidas à Enfermagem. São histórias que emocionam e inspiram.  “Lembrar e homenagear os profissionais de enfermagem  aposentados é uma manifestação de reconhecimento à toda dedicação do trabalho realizado ao longo da profissão. Estes profissionais fazem parte da história da saúde tocantinense, atuaram por longos anos na assistência de enfermagem. Somos extremamente gratos por tudo o que fizeram, ensinaram e contribuíram para saúde pública deste país ”, afirmou a presidente do Coren/TO, Emília Maria Miranda.

“Para mim, foi umas das coisas mais maravilhosas que já me aconteceu”. É assim que a aposentada Dulcilene Pereira Lima descreve os 23 anos que atuou como técnica de enfermagem.  Já aposentada, a profissional guarda as melhores lembranças do trabalho prestado à saúde tocantinense. “Lá eu brincava, lá eu tinha diálogo, dançava, gostava demais dos meus colegas de trabalho, para mim todos eram uma família. Eu aposentei, mas ainda hoje eu sinto falta”, conta Dulcilene, que mora na cidade de Dueré, sul do Estado.

Para a aposentada Tereza Cristina da Cruz Rocha foram quase 30 anos atuando como técnica de enfermagem, na área de obstetrícia. Todos estes anos de atuação foram marcados por desafios e realizações. “Já fiz muitos partos, hoje têm vários rapazes e moças que eu que fiz o parto. Continuo atuando como enfermeira atualmente, mas foram muitas lutas. Trabalhei a maioria dos anos em plantões noturnos. Naquela época, a gente trabalhava e não tinha dinheiro para comprar nem uma bicicleta, hoje, graças a Deus, temos plano de carreira, direito a termos nossa casa, nosso cantinho e nosso salário digno. Os desafios foram grandes. Trabalhei em uma época onde tínhamos muita medicação, muito material, e hoje temos a falta de insumos nos hospitais”, lembrou a profissional da cidade de Colinas do Tocantins.

A enfermeira aposentada Maria Imaculada da Silva Pinheiro também enfrentou diversas barreiras na profissão. Quando começou, jovem e com muitas responsabilidades, precisou ter pulso firme para conquistar seu espaço dentro dos hospitais. Hoje aposentada aos 65 anos, possui experiências na saúde e na educação. Mestre em saúde pública com ênfase em epidemiologia pela Universidade de Havana, Maria, além dos hospitais, também foi professora do curso de Enfermagem da Universidade de Gurupi.

“Sou apaixonada pela minha profissão, principalmente atuando na área da atenção básica, saúde coletiva, que é onde eu consigo ver o resultado do meu trabalho, isso para mim não tem preço. Tive várias experiências boas e ruins, mas nada que me marcasse de dor, foram sempre experiências boas, nas quais eu consegui crescer muito. Um dos trabalhos que mais me marcou foi a ação contra o HIV na cidade de Gurupi. Naquela época, quando o Estado [Tocantins] foi dividido, tínhamos um alto índice de HIV no Brasil. Nós conseguimos detectar o primeiro caso da doença em Gurupi. Com uma boa equipe de trabalho conseguimos rastrear esse paciente”, enfatizou Maria Imaculada.